29 de out de 2012

Missão pessoal: Ser feliz!

Foto de Eliza Carneiro

Que o céu que habita o nosso  coração seja realidade na Terra

Qual é a sua missão pessoal?

Podemos passar a vida buscando respostas, conhecimentos e instrumentos fora de nós que nos capacitem a descobrir como realizar a missão pessoal que faça sentido ou que justifique a nossa existência.
Por vezes, vamos tão longe nessa busca, sem perceber que assim nos distanciamos cada vez mais, de mais uma meta que criamos em substituição há tantas outras já criadas.

Às vezes isso se torna desolador. É como se perder no meio do caminho, perceber que deu voltas e mais voltas e sequer saber para onde estava indo.
E, de repente, ser tomado pela sensação de impotência do ‘não saber’, com 'tanto conhecimento'.

Afinal, o que de fato ‘sabemos’?
Tantas foram as idas e vindas que perdemos as referências, melhor dizendo, a própria referência.

Então, paramos.
Paramos para sentir a impotência para nos dar conta da força restauradora até então, adormecida dentro de nós.

Paramos de fugir ou nos esquivar de nós mesmos.
De nossa dor e também de nosso amor - a fonte de luz dentro de nós.
Entramos em contato.
Nos encontramos.

Respiramos.
Tomamos ar.
Oxigenamos.
E, agora sim, começamos a viver.

Pois, diferentemente de tudo aquilo que um dia nos fez buscar algo fora de nós, descobrimos paradoxalmente - já estava dentro de nós.

A primeira missão de todos nós, independentemente de credo, raça ou qualquer outro gênero de diferenciação é uma missão comum: ser feliz.

Seja como for, onde for e com o que for, não importam as circunstâncias, nem o tempo e nem o lugar.
Pois, ser feliz está desvinculado de condições. Ser feliz é uma atitude de amor incondicional que não exige moeda de troca.

Amor e felicidade na VIDA nada têm a ver com limitações é pré-condições. É livre e disponível para todos.
E essa descoberta muda toda a nossa rota.

Então percebermos que a VIDA nos traz aquilo que nossos pensamentos pedem e nossa emoção sustenta. Ou seja, nossa felicidade não depende de ninguém, a não ser de nós mesmos.
Pois, como  disse Luis Fernando Veríssimo: “O mundo é como um espelho que devolve a cada pessoa o reflexo de seus próprios pensamentos", como mostra lindamente a foto de Eliza Carneiro, onde 'o céu que habita o nosso coração pode ser realidade na Terra'.

E, "a maneira como você encara a vida", após essa descoberta, "é que faz toda diferença”.

Então me pergunto: Quando posso ser feliz?

Só se for AGORA!

Não crie estórias que te prendam na memória do passado ou na preocupação com o futuro.
Sinta o que seu presente oferece, seja o que for.
E, então, liberte todo esse sentimento... seja ele qual for.

"Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos".

Deveríamos desfrutar da felicidade exatamente agora, hoje, amanhã pode ser muito tarde. Há uma velha canção francesa que pergunta: “O que estamos estamos esperando para sermos felizes? Por que esperar para celebrar?” Meditação é a prática de viver profundamente cada momento da vida diária. Para fazer isso, precisamos ser capazes de gerar plena atenção e concentração com nossa respiração e nossos passos.
Plena atenção é estar consciente do que está acontecendo no momento presente, concentração é a manutenção dessa atenção. Com plena atenção e concentração podemos olhar em profundidade e entender o que está acontecendo. Podemos atravessar o véu da ignorância e ver claramente a verdadeira natureza da realidade e sermos libertados da ansiedade, medo, raiva e desespero. Isto é insight. Plena atenção, concentração e insight são a verdadeira essência da meditação.
(Do livro “Peace is every breathe” – Thich Nhat Hanh)
(Traduzido por Leonardo Dobbin)
Comente esse texto em http://sangavirtual.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário