28 de fev de 2013

"Nem tanto o céu, nem tanto a terra", apenas SER o Céu na Terra.



No Silêncio... a escuta do Ser...
Permissão para a Luz do Sol clarear
...
VIDA
...
Em mim, em ti.
Namastê.


"No som do Silêncio, LUZ!!"
Quando vem o silêncio, cessa o 'torvelinho' ao redor... pensamentos, palavras, sentimentos e antigos registros se aquietam... e, entramos em contato com o nosso centro de sabedoria.
O tempo para e a nossa percepção amplia. Tudo clareia em nós e ao nosso redor.  
     
A percepção divina é inequívoca. E, desse modo atua em nossa materialidade, clareando as situações cotidianas, fortalecendo a nossa vitalidade ao impedir a dispersão de nossa atenção para as futilidades, bem como a perda de energia pela repetição de condutas equivocadas.

Esse é o nosso grande desafio e também nossa grande Oportunidade.
Pautados nesse silêncio, temos um poder de escolha mais consciente para tornarmo-nos mestres de nós mesmos, capacitados a viver esta VIDA feliz! 

"Pense menos, sinta mais;
Condene menos, sorria mais;
Fale menos, escute mais;
Julgue menos, aceite mais;
Observe menos, atue mais;
Queixe-se menos, aprecie mais;
Tema menos, AME mais."
 (happinessinyourlife.com)

15 de fev de 2013

"Deixando pra trás: Ex-pectativas e Ex-igências"



Num mundo permeado de expectativas e exigências, onde o conhecimento do mundo externo se sobrepõe ao conhecimento do mundo Interno, acabamos reféns de nossas próprias criações.
Sabemos  'de tudo  um pouco' do que está à nossa volta e 'muito pouco' de nós mesmos dentro desse processo que denominamos conhecimento.

Esquecemos que o verdadeiro Saber se efetiva através da experiência integrada nos  mundos  - externo e interno.  'Vivemos', cá no mundo externo, na maioria do tempo desconectados de nosso mundo interno.  

E, assim, mal sabemos o que verdadeiramente sentimos, pois crescemos com a ideia de que 'temos que' ser fortes, como 'leões' defendendo 'nosso'  território externo, às custas da integridade do nosso território interno. Deixamos de lado ou ignoramos nossas verdades internas, nossas intenções mais puras. Muitas vezes, ficamos sem saber o que de fato queremos, o que de fato nos faz felizes, pois aprendemos a evitar esse sentir, mal-definido pelo sinônimo 'fragilidade', num mundo que 'exige' uma força quase bruta para a sobrevivência.

Porém, esse tempo, há muito, já passou  e essa memória ancestral, às vezes parece mais viva do que nunca, num mundo que já mudou! Onde, continuamos a construir nossas realidades baseadas em impressões do passado!
E, como podemos conceber a VIDA como PRESENTE, se o nosso viver se divide entre as impressões do passado e as expectativas do futuro?

É chegado o momento de abandonar as "exigências" do externo para ouvir a nossa 'necessidade urgente' interna.
Dar um basta nas "expectativas", pois 'Esperar não é Saber', pois já dizia Vandré - 'quem sabe faz a hora, não espera acontecer'!!!
É chegada a hora de ampliar a nossa 'mente limitada' integrando-a ao poder 'ilimitado do nosso coração'.
E, sejamos, definitivamente, felizes!!!!

*Expectativa - Ato ou efeito de expectar = ESPERA
*Exigência - Necessidade urgente

8 de fev de 2013

"Prosperidade em mim, Prosperidade em ti, Prosperidade em nós - Herança Divina para todos"

Foto de Eliza Carneiro
Espaço Matrix

Somos todos luzes reluzentes como essa árvore da Prosperidade.
Cada um de nós traz um tom singular para colorir a face da Terra, se assim o quiser.

E, aquilo que viemos manifestar não é muito nem pouco, melhor ou pior, certo ou errado quando manifestamos através da energia e do poder do nosso coração, o fruto de nossa experiência.
Pois essa é a nossa mais pura verdade e isso é TUDO.

 É o que temos para todo Sempre. É a nossa herança divina. É o que podemos manifestar a cada AGORA, sem pressões, nem condições.

"Cada um de nós tem uma canção própria para cantar, uma dança própria para dançar. Às vezes, em sua simplicidade, isso é óbvio. Em outras, é complexo e confuso, oculto nos recônditos de uma essência ainda desconhecida. Estamos aqui para realizar algo único, para expressar nossa individualidade e seu desejo pela perfeição e por uma vida mais gloriosa. Quando descobrimos o que tal expressão significa e sentimos grande alegria e plenitude e nossa evolução, o ritmo de nossas vidas, parece se acelerar. Ficamos felizes, ligados à vida, seja vendendo imóveis ou administrando recursos financeiros, como mãe e dona de casa, varrendo o chão e fazendo compras ou coreografando uma peça da Broadway. Nesse momento, todo esforço despendido com elementos discordantes e díspares faz sentido: ele nos ensina a arte e profunda maestria da vida - o manejo do eu. Ocorreu uma integração. As rupturas no medo exterior parecem coincidir com algum tipo de plenitude interior, uma lição aprendida. E mesmo que não haja qualquer sinal externo dramático, o próprio viver torna-se excitante, Talvez não mais fácil, mas certamente mais gratificante, mais harmonioso. A vida, repentinamente, passa a ter um propósito e você tem algo a dizer. Nesse ponto, você se tornou um ativo co-criador com a divindade. A completa maestria é apenas uma questão de tempo." (Alquimia Interior, de Zulma Reyo - Ed. Ground)

3 de fev de 2013

Vida em SI

Foto de Camila Lee
 
"Você obtém mais daquilo em que se concentra" e, sua realidade reflete o foco de sua concentração.
Somos dotados de um poder ilimitado para criarmos qualquer realidade. Inclusive e, principalmente, a que neste momento se configura em nossas vidas.

A grande questão é que nem sempre temos noção de como somos responsáveis por essa realidade. 

Quando concentrados em crenças, 'a nossa realidade não pode ser Real', pois a crença se apoia em uma 'realidade' baseada na percepção do outro. Acolhemos como verdade uma experiência que não é nossa. Sob essa qualidade de concentração tudo se torna penoso, moroso. Despendemos nossa energia em grandes esforços buscando verdades fora de nós, enquanto imaginamos estar no controle da própria vida. Vivemos uma ilusão.

Quando concentrados na Fé, nossa realidade passa a ser mais consistente, se torna Real também no sentido de 'Realeza', pois a fé é a qualidade que brota de nossa máxima experiência. Ela vem de dentro, do acessar profundo de nossas verdades, sejam elas quais forem. É um estado de lucidez. E, sob essa qualidade de concentração não há esforço. Há entrega, uma profunda aceitação.
Onde a Aceitação se torna pura Concentração na Gratidão por tudo o que é e do jeito que é em nossa vida. 

Assim, nossa realidade, instantaneamente, toma novo entendimento, nova dimensão, onde a vida não precisa ser uma 'pena a ser vivida'. Ela simplesmente 'vale' por si. 

E, assim experimentamos a 'Vida em SI', onde Ser é o bastante e a vida se manifesta em atitudes, na coragem de viver com o poder do Coração.

“A crença parte do desejo de que algo seja verdade; é construída sobre idéias pré-concebidas e julgamentos; a crença permite que a mente se abra somente ao que encaixa no seu modelo. A fé, por outro lado, é um mergulho no desconhecido, com a mente aberta, sabendo que a atitude correta é deixar-se ir. A fé sabe que pode não ser seguro nem cômodo, mas, mesmo assim, sabe que está certo. A crença prende; a fé liberta. A verdade jamais poderá ser encontrada através da crença, mas sim, unicamente, através da simplicidade da fé”.

                                                     (Um manual para a Ascensão - Serapis Bey)
A fé consciente é liberdade. A fé emocional é escravidão. A fé mecânica é estupidez.