29 de mai de 2013

"PORQUE SIM é resposta, SIM! Simples assim."

Foto de Carla Mago

Quem nunca ouviu ou até pronunciou a clássica frase: "Porque sim não é resposta!" 

Com aparência inofensiva, a frase traz um certo tom de cobrança, de exigência e até um certo rigor, que muitas vezes se configura como peso em nossas respostas perante a vida. 

O compromisso com a vida deve ser levado com seriedade, sim. Contudo, não com severidade.
Quando temos que encontrar explicação pra tudo, levando tudo ao 'pé da letra' vamos perdendo, aos poucos, a autenticidade do sentir intuicional. 

Acabamos atuando como São Tomé que precisa "ver para crer" quando, no entanto, muito da magia da vida acontece, naturalmente, quando temos a convicção interna no poder do coração que se manifesta em milagres em cada circunstância da vida. 

A simplicidade do "PORQUE SIM" nos convida a Viver verdadeiramente, com autenticidade interna, inteireza, leveza, liberdade,  fluidez! 

É assim que o "crer para ver" (e não o contrário) está relacionado com os milagres da vida, quando confiamos no fluxo da Fonte infinita, quando dizemos SIM à vida permitindo que esse fluxo atue sem a nossa interferência, quando seguimos a intuição e não os ditames do controlador.

"PORQUE SIM" quando pronunciado pela pureza do Coração faz renascer a inocência da criança, agora enriquecida pelo aprendizado das experiências do adulto, revelando-se em Sabedoria da alma.

"PORQUE SIM" é simples assim, quando somos capazes de enxergar a luz a partir das pequenas frestas de nossa reclusão à Vida, como ilustra essa bela foto de Carla Mago. 

"PORQUE SIM" foi um presente recebido há poucos dias de uma amiga querida na rede virtual, comprovando que as conexões do coração operam milagres na forma de mensagens que só o coração pode perceber, receber e compartilhar. 

Gratidão por compartilhar expressões autênticas de sua alma, querida Dinamara!
Gratidão por compartilhar a beleza através da simplicidade do seu olhar, querida Carla! 

NAMASTÊ.

 

25 de mai de 2013

DESPERTANDO PARA A UNIDADE


Entrando em contato com a Abundância interior,
Compartilhando-a, naturalmente, sem pensar na forma como ela está sendo distribuída,
Confiando no caminho da alma, incondicionalmente,
Sendo feliz aqui e agora,
Desfrutando do momento presente, exatamente como ele se apresenta.
Recebendo mais e mais,
Transbordando mais e mais,
Em Gratidão incondicional.
Conexão, Confiança.
Fonte - Infinita Abundância.
Alegria, Felicidade e Unidade. 

Momento Presente sempre é Momento Maravilhoso quando estamos integrados; somos plenos.
Estando inteiros em Integridade, somos coesos com a Fonte infinita. 
Plenos, podemos transbordar e ainda assim, nada será tirado, pois o fluxo da fonte infinita é contínuo e constante, sem fim e sem começo porque tudo é UNIDADE.

À medida que a percepção de Unidade é colocada em prática, o verdadeiro serviço acontece, onde a personalidade cônscia de seus atributos acolhe os apelos da alma.
Então, torna-se possível entender que 'o serviço verdadeiro não é nem um sentimento nem um ideal. Tampouco é uma atividade em direção à qual as pessoas devem se esforçar, ou um método de ajudar os outros. Em vez disso, o verdadeiro serviço pode ser definido como o efeito espontâneo do contato com a alma' ou seja, 'a habilidade para servir se conquista através do contato com a alma, e é a prova de que a alma está começando a se expressar em manifestação exterior'. *

A harmonia da perfeita conjugação do que viemos manifestar expressa-se através da forma na transfiguração do ser humano em Ser Solar, unificando céu e terra em todas e quaisquer atividades que venhamos a desempenhar.

Discernir e compreender nossos hábitos nocivos para serem auto-curados, descerram o caminho do despertar e desenvolver de nossas melhores habilidades através do autoconhecimento promovido por uma diversidade de ferramentas hoje disponíveis à humanidade por inúmeras egrégoras ressonantes na conexão do coração, que nos orientam ao caminho para o exercício e apreciação da Unidade. 

E, ao despertarmos e aperfeiçoarmos a consciência de quem verdadeiramente somos, desenvolvemos a consciência de grupo. E, 'esta última é o mesmo que o amor abrangente, sendo experimentada como uma percepção intuitiva da unidade essencial dos seres humanos'. *

Namastê.

* Os Raios e a Psicologia Esotérica - Zachary F. Landsdowne


21 de mai de 2013

A Inveja como Caminho do Despertar




Embora a frase soe estranhamente aos nossos olhos e ouvidos, esse é um lindo exercício para fazer as pazes com o quer que possa ressoar em cada um de nós, ao entrarmos em contato com essa combinação de palavras.
Ela pode causar curiosidade, aversão, preconceito, estranheza  ou simplesmente aceitação dependendo do nosso estado de auto-entendimento.

Esse foi um exercício interessante que surgiu nas trivialidades do meu dia ao fazer a escolha da cor do esmalte para as unhas.
Há uma coleção originalmente chamada "7 pecados capitais", que passou a ser chamada "7 vermelhos" e, uma das cores foi nomeada de "Inveja Boa".
Num primeiro momento, isso ressoou como aversão e em seguida percebi o meu preconceito construído por pré-conceitos como tantos outros que geramos ao longo da vida, inconscientemente, como se isso não fizesse parte da nossa própria humanidade ou como se já estivéssemos 'santificados'. 

E, tudo isso porque ao longo da vida aprendemos a evitar um contato mais íntimo com os sentimentos que habitam dentro de nós, buscando combatê-los ao invés de compreendê-los. E, muitas vezes, crescemos sobre bases ilusórias que a qualquer momento podem desmoronar em contrariedades e dissabores.
Afinal, fomos educados a olhar para fora, a buscar referências fora de nós.
Também, aprendemos a prestar atenção e a apreciar muito do que está fora e pouco do que está dentro de nós.
Minha primeira reação foi  'literalmente reagir' num padrão de pensamento crítico que surgiu como: "E, existe Inveja Boa?!!"

Então, dias depois, como bênção para um novo entendimento, num compartilhar das redes sociais de um amigo querido, recebo um presente em forma de palavras de um Curso sobre Eneagrama* que sinalizava uma forma delicada de comunicar com clareza como trabalhar com esse sintoma tão  humano que é a inveja e, que tão sutilmente se apresenta nas entrelinhas do dia-a-dia, em sentimentos, pensamentos ou comentários 'banais' na forma de crítica, queixa, reclamação ou lamento sobre a vida. 

A frase dizia:
"Seja humilde, reconheça sua abundância, compartilhe-a e confie no fluir da vida, sempre em evolução. Saia dessa doença espiritual e viva feliz consigo mesmo".

Essas breves palavras são um bálsamo esclarecedor que nos convida a olhar para a mais pura essência luminosa dentro de nós, despertando o entendimento de que o nosso propósito é revelar essa luminosidade!

Brincando com as palavras, percebi que a própria palavra Inveja contém em si, a solução!
Ela própria indica o caminho 'In' veja, ou seja, veja dentro de você, acesse todo o seu potencial, liberte-se dessa prisão e compartilhe sua abundância ao invés de lamentar as experiências e os eventos da vida!
Pois, quando VEJO dentro de mim e reconheço essa Abundância, paro de buscá-la fora, pois compreendo que ela sempre esteve aqui. E, quanto mais a compartilho, mais aumenta o meu tesouro. E, assim prospero livremente e vivo a vida, que em si, é o próprio sucesso quando compartilho o que trago de melhor!!

Então, agora entendo que exista inveja boa, como apontou o rótulo do esmalte, sim!
Inveja boa é aquela que nos desperta a 'in' veja, a ver dentro de nós tudo o que há de mais sagrado e belo a ser compartilhado. 

Curiosamente, os esmaltes têm muito a nos despertar quanto a desconstrução quer seja de pré-conceitos ou auto-conceitos.
A propósito, vocês conhecem uma cor que, aliás  muito me agrada em minhas unhas, cujo nome é "Nunca fui santa"??!!
Vale nova reflexão! rsrsrsrs

A foto acima foi tirada no 'guá do sucesso' do Espaço Matrix, representando simbolicamente que a transmutação dos padrões limitantes em nós desbloqueia o nosso caminho, nos despertando para a Luz dentro de nós. Isso é sucesso!!!

* Em Gratidão profunda à Satbodhi Lisboa pelo compartilhar em sua página no facebook, que tantos 'insights' promove em meu viver. Namastê.

16 de mai de 2013

A Bênção do COMPARTILHAR

Foto de Eliza Carneiro

Quando compartilhamos com o mundo, distribuindo a essência do que trazemos de melhor dentro de nós, uma chuva de flores retorna abençoando o nosso viver. E, quanto mais compartilhamos, mais preenchidos de alegria e felicidade nos tornamos.

Há alguns dias, na celebração de meus 50 anos com parceiros queridos que compartilham seus lindos trabalhos no Matrix, fui abençoada com uma dessas chuvas de flores!

Numa linda roda que formamos, sob a condução delicada e amorosa de Angelica Rente, nossa mais recente parceira nas Danças Circulares, recebi de cada parceiro presente, a essência do que cada um trazia de melhor, representada pelas cartas do "Oráculo da Iluminação"*, num breve ritual que antecedeu a tocante dança sob o mantra tibetano "Flower of Compassion"**, focalizada lindamente por Angelica.

Esse 'bouquet' de flores  que agora compartilho com vocês, continha no simbolismo das cartas do Oráculo, a pura Essência: da Ordem, da Vitalidade, da Entrega, do Abridor de Caminhos, do Poder da Palavra, da Harmonia, do Amor Divino, da Fraternidade, da Cura, do Amor Humano, da Visão, da Música, da Pureza, da Liberdade, dos Sonhos, da Sustentação e da Coragem - oferecida por cada parceiro presente na roda e, acolhida profundamente por meu coração, que o traduziu na seguinte mensagem, pleno de Gratidão.

"Que uma nova ORDEM regida pela PUREZA da ENTREGA nos ABRA CAMINHOS para manifestarmos a HARMONIA através da expressão do AMOR DIVINO que se revela em AMOR HUMANO. Onde a CURA se manifesta na plataforma física, ao reconhecermos a Essência da Perfeição que promove a nossa SUSTENTAÇÃO nessa dimensionalidade.
Abrem-se as portas para uma nova VITALIDADE, onde os SONHOS mais sublimes manifestam-se em LIBERDADE de concretização, através da VISÃO além da forma.
A CORAGEM nos impulsiona a vivermos a verdadeira FRATERNIDADE na Terra, onde a nossa MÚSICA fundamental seja revelada pelo PODER DA PALAVRA qualificada que a  tudo transforma em Vida, Luz e Amor."

O efeito dessa linda cerimônia ainda reverbera dentro de mim, no simbolismo inspirador de cada passagem compartilhada: 

No laço das mãos, o equilíbrio entre o dar e receber - o compartilhar do Coração;
No olhar consciente nos olhos dos amigos da roda, o reconhecimento da alma, a percepção da energia do círculo - a Unidade;
Nas mãos em prece - Reverência à Vida, a toda vida.

Amigos de todos os tempos, dedico minha profunda Gratidão por suas Presenças em meu viver compartilhando suas Luzes, Cores e Flores que agora retornam em lindas bênçãos a cada um de vocês! 

Namastê.

**Mantra tibetano gravado por Margot Reisinger e seu projeto Existence, no cd Free Tibet, com coreografia de Samuel Souza de Paula.

8 de mai de 2013

Celebração, estado de Graça... permitindo à sua música fundamental florescer.

Foto de Eliza Carneiro

"Tudo acontece quando você cria as condições certas.
A Vida está pronta para acontecer... É só você permitir"
Rajneesh

Viver em "estado de Graça" é permitir o fluxo natural da energia da vida atuando em nós.
E, a vida é uma eterna celebração quando permitimos que essa energia abundante se manifeste em cada pensamento livre de pré-conceitos, conceitos e preconceitos, em cada sentimento de paz e harmonia, em cada atitude compassiva e, em gestos delicados e gentis que espontaneamente brotam de nós em tudo o que fazemos.

Onde todo entendimento é reconhecido imediatamente pelo grande tradutor, o Coração, que permite o fluir da vida livre, sem limitações.

Esse  movimento de vida livre, fluindo, me remete à infância, às minhas aulas de piano.
Lembro-me que no início, parecia-me quase impossível ler uma partitura e coordenar as notas e os dedos das mãos, até entender pela prática que tudo acontece a seu tempo: a leitura, a prática da mão direita, da mão esquerda, o encontro das duas mãos. O som das notas que inicialmente saíam 'secos' em virtude da tensão dos dedos ainda 'presos' pela 'teoria'...

 E, então, com a constância da prática, com o "experienciar", com os erros e acertos,  o  aprendizado da percepção de si mesmo foi acontecendo, naturalmente, através das notas e dos sons emitidos como extensão dos próprios dedos. 

E, aos poucos, dando espaço para o 'sentir' -  a permissão para que o movimento dos dedos acontecesse com leveza, em entrega, ainda que uma certa dose de firmeza fosse necessária para 'imprimir' a 'forma' dos sons na matéria que agora podiam ecoar, reverberar... 

Equilíbrio.
Então, a magia! A alquimia que transforma a energia vital em doce melodia, por intermédio da expressão do ser.

E, hoje posso compreender que assim é para todo processo de criação em nossa vida, ao encontrarmos o ponto de equilíbrio entre a leveza do espírito e a firmeza da matéria para manifestarmos essa melodia harmônica de nosso som fundamental.

E, a vida nesse processo contínuo, ganha novos significados e novas cores, ao olharmos para trás enxergando em cada experimentação, um rico aprendizado que faz de nós esse 'continuum' eterno de Luz, Cores e Sons em movimento! 

Estar em Graça é viver em profunda gratidão. Fazer da vida um DIVINO VIVER!