28 de mar de 2014

Força do Hábito ou Poder da Vida?


Fotos de Eliza Carneiro

Muitas vezes nos tornamos tão automatizados que, sem perceber, vamos perdendo a sensibilidade e o poder da Vida.

As circunstâncias se repetem e deixamos de vivê-las como experiências quando lidamos com elas com a "velha opinião formada sobre tudo".

E, assim, as "metamorfoses" nunca ocorrem. Acabamos vivendo todos os dias como lagartas, apenas esperando o milagre da transformação.

E esquecemos que o milagre da transformação somos nós mesmos.
O milagre é o poder da Vida que nos habita.

Mas, como despertar o poder da vida, enquanto vivemos a força do hábito?

A força do hábito que, na maioria das vezes, nos faz repetir padrões, nos aprisiona e nos faz sofrer em círculos viciosos e inconscientes, tornando a vida inconsistente, em fragmentos de mil histórias contadas e recontadas sob a força do hábito onde os padrões se repetem.

E, padrões relacionam-se com o passado.
E, se vivemos o passado, deixamos de viver o presente que é a única oportunidade de transformação.

E, para transformar a força do hábito em Poder de Vida é necessário estar no presente, ciente, inteiro.

É preciso lembrar-se disso, à cada respiração que nos abastece de energia vital que é rapidamente desperdiçada quando a empregamos para alimentar o passado.

Pois até a respiração tornou-se um hábito inconsciente e por isso nos perdemos do presente.
Perdemos a oportunidade de ser um presente que é a própria VIDA que recebemos ao nascer.

E essa vida é intransferível.
Precisamos vivê-la por nós mesmos.

Retome sua respiração novamente.
Faça o seu parto.
Corte o cordão umbilical
E respire por si
Libere seu choro
Choro de Vida
Choro de Vitória
Choro de Glória!

Fátima Lee

* Esse texto foi inspirado na prática semanal do Grupo de Auto-Cuidado no Matrix.

O encontro dessa semana foi conduzido por uma linda mensagem que diz:

"Concentrating 100% on our breathing, or on our steps, liberate us.
We become a free person in just a few seconds, free to transform the habits energies of our ancestors." 
(Thich Nhat Hanh)

A prática dessa semana é PRATICAR.
PRATICAR o Poder da Vida, praticando a respiração consciente em cada passo do nosso dia.
Pois, PRATICAR é a única forma de resgatar o único Poder que temos, que é o poder sobre a nossa própria Vida.


26 de mar de 2014

Simplesmente VIVER, Simplesmente AMOR




VIVER não é refugiar-se
...
nos estudos, nos trabalhos, nas filosofias, nos afazeres domésticos, nas orações, nas diversões, 
em ativismos.

Refugiar-se nesse sentido é resguardar-se em isolamento,
economizar-se, distrair-se, separar-se, dispersar-se em fragmentos.

VIVER é estar presente sem se esconder, concentrado e inteiro
...
no estudo, no trabalho, no afazer doméstico, na oração, na diversão, 
em Atividade.

VIVER é a experiência única de cada atividade.

VIVER é a capacidade de ações inteligentes,
Orientadas não somente pelo intelecto
Mas, antes e fundamentalmente pelo coração.

VIVER é cabeça e coração, juntos numa única Ação: AMOR.

Fátima Lee.

25 de mar de 2014

A Primeira Inclusão


O mais feliz dos encontros é o encontro consigo mesmo.

Quando você toca aquilo que buscava lá fora e que sempre lhe foi inerente aqui dentro, é tocado por uma alegria que não necessita mais de motivos para ser.

E, essa alegria lhe acompanhará.
E se espalhará, sem esforço, onde quer que você vá.
E estará sempre presente em tudo o que você fizer.
E por onde você passar.
E ela nunca mais lhe abandonará porque já faz parte de você.

E você perceberá que esse é o primeiro movimento de inclusão.
De você em você mesmo, por você mesmo
...
se tornando inteiro, nesse abraço capaz de acolher e abraçar o mundo e o Universo sem fim.

Porque agora vocês são UM.
Sem paradoxo, sem distração, sem divisão, sem distinção.
Coesão.

Então, você não tem mais necessidade de nada, mas pode Tudo.
Você não é de nenhum lugar, mas de todo Mundo.

Isso é Inclusão.
Poder do Coração.

Fátima Lee

21 de mar de 2014

"Encontros"

*Foto de Eliza Carneiro

A cada encontro, me reencontro.
Olho pra fora e, curiosamente, encontro-me aqui dentro.
E, assim, revelo-me como um filme,
Através de infinitos 'clicks'.
E, infinita sou,
Quando em cada olhar que atravessa tempo e espaço,
Me encontro em meu presente,
Neste atento e eterno 

Agora.
Fátima Lee.


Dedico essas palavras, em homenagem à querida amiga e parceira do Matrix, Eliza Carneiro, que celebra hoje sua vida, e a quem sou grata por despertar em mim, através de sua arte de fotografar, a esse encontro comigo mesma, em cada 'click' que me desperta em meus dias.
Feliz continuação, querida amiga!!!!

20 de mar de 2014

"Liberdade é a frequência do Amor"


Eu me sinto livre
Quando nenhum pensamento me toma,
Nenhum sentimento me assola,
E nada mais me devora.
E assim fico inteira.
Aqui e Agora.

Eu me sinto livre
Quando nenhuma condição me prende
E nada me rende,
Nem conceitos, nem convenções,
Nem imitações ou limitações.

Eu me sinto livre
Quando meu coração me aquece
E o corpo não mais padece
E a alma decola
Expressando sua glória
Que é puro Amor...

ou seja,

Eu me sinto livre
Quando Sou Amor.

Fátima Lee

19 de mar de 2014

"Sem pressa de ser feliz porque já É"

*Foto de Eliza Carneiro

Quando você "DES- culpa" a si, ao outro e ao que for,
A obrigação não te obriga mais a nenhuma ação
Que vá contra o seu coração.

Então, desfaz-se toda a ilusão
Como bolhas de sabão.

E, sem culpa
Você não precisa mais de desculpa
Pra ser Feliz!

A "DES-culpa" desperta o Amor
Que dissipa toda dor 
Contida em qualquer desamor.

E você não oscila mais em humor
Porque você é Amor!

Amor em Atividade
Sem vaidade
Sem densidade
Isso é Felicidade!

Fátima Lee

18 de mar de 2014

Tempos de Bondade, para mim e para ti



A bondade só existe onde não há medo.
Onde não há medo, não há necessidades
De métodos, técnicas ou mecanismos
De defesa ou de ataque.

Pois, bondade é um campo neutro
De pura escuta
Onde não há palavras, nem pensamentos,
Nem busca de entendimentos.

Bondade é campo neutro
De pura Percepção
Que não imagina, nem acha
Assim, não compara, nem julga
Apenas escuta
Com o Coração

Primeiro a si
Para depois
Servir a ti.

Fátima Lee

10 de mar de 2014

Sol para todos. O Caminho de Volta: cada um em Si, Deus em Todos!


E no próprio descompasso, me encontro em meu abraço
O caminho de volta, dentro de mim
Acolhida, sou bem-vinda
Para viver sem estar adormecida
Sem evitação, nem distração
Em plena dedicação ao Coração.

E a Vida não é mais ilusão
É Realização
E na Real Ação
Eu Sou

Fátima Lee

* Foto de Eliza Carneiro

4 de mar de 2014

A Vida não é sacrifício quando é sacro o ofício


A Vida não é sacrifício
Quando é sacro o ofício de Viver e Amar

Pois, no sacro ofício de Amar
Sente-se a Vida transbordar
Em si e em todo lugar

E, assim, vive-se bem
Porque vive-se o Bem
Em tudo aquilo que há e está
Sem mais necessidade de se revoltar ou rebelar

Apenas se vive
para Se REVELAR

Fátima Lee