30 de nov de 2012

"Fé na semente de Vida que somos"

Foto de Eliza Carneiro


Fé é a Confiança plena, onde abrimos mão do controle e não precisamos mais buscar apoios em seguranças externas, pois estamos totalmente ancorados na terra firme dentro de nós, no poder do nosso coração.

Fé é estar 100% envolvidos no momento presente, em contínua "presença de espírito", pois quando estamos atuando sob este comando divino, não duvidamos mais da vida e, assim podemos reconhecê-la em seus milagres ao 'deixarmos a luz do sol brilhar no céu do nosso olhar'!

Pois, é essa luz que torna o nosso olhar cada vez mais lúcido, permitindo que o discernimento seja o nosso guia fundamental. Onde podemos olhar com olhos de amor, para toda situação que se apresente diante de nós, encontrando a cada ressonância, uma oportunidade libertadora, que nos confere o poder de 'saber o que fazer e não fazer para sermos úteis' e íntegros para conosco e para com a sociedade. 

Assim, se mantivemos plena consciência de cada momento presente, podemos concentrar a nossa atenção, dar foco ao que realmente é importante em qualquer situação, em plena Confiança e Gratidão no processo da Vida.

É deste modo que seremos as verdadeiras sementes de Luz, como as da foto da bióloga Eliza Carneiro, que como ela própria disse ao compartilhá-la conosco: "lembram a Fé, a Confiança e o Poder que a sementinha (tão pequena e frágil e às centenas) têm em seguir seu coração e acreditar que de semente levada ao vento (a Confiança) alcançará um terreno fértil, muitas vezes bastante distante do seu lugar de origem para se transformar em algo ainda maior!!!"

Nessa imagem tão delicada aprendemos com a sábia Natureza, que não há motivos para resistir  "ser ao que já somos". 

E que a entrega é a plena Confiança na Vida, na própria vida que somos!!
Renda-se, não resista! Você já É.

2 comentários:

  1. "O estado primordial está repleto de bem-aventurança, mas não há ninguém para reconhecê-la. As árvores ainda existem naquele estado primordial, as montanhas, os oceanos, as nuvens, os desertos, todos eles ainda existem naquela consciência primordial. É um estado de inconsciência.
    Buda chama isso de nada, de puro nada, porque não havia distinção, não havia demarcação. Era nebuloso: nenhuma forma, nenhum nome, como uma noite escura.
    Então veio a explosão. Agora os cientistas também falam sobre essa explosão. Agora os cientistas também falam sobre essa explosão; eles a chamam de 'Big Bang'. Então tudo explodiu, o nada desapareceu e as coisas apareceram. Essa ainda é uma hipótese, mesmo para os cientistas, porque ninguém pode retroceder no tempo. Para os cientistas é uma hipótese, a hipótese mais provável.
    Há muitas teorias propostas e propagadas, mas a teoria do Big Bang é a mais aceita, que a partir do nada, coisas explodiram como uma semente explode e se torna uma árvore. E na árvore há milhões de sementes, e então elas explodem. Uma única semente pode preencher a terra inteira com verdor. Explosão significa isso.
    Você observou o fato? É um grande mistério... Uma pequena semente, quase invisível, pode explodir e preencher a terra inteira com florestas. E não apenas a terra inteira, mas todas as terras possíveis na existência. Uma única semente! E, se a semente for aberta, o que será encontrado dentro dela? Apenas nada, puro nada. A partir desse nada, o todo se desdobrou.
    Para os cientistas essa é apenas uma hipótese, uma inferência, mas para Buda essa não é uma hipótese, mas a sua experiência. Ele percebeu isso acontecer dentro de si mesmo."
    Buda - sua vida e seus ensinamentos - Osho.

    ResponderExcluir
  2. "Na realidade, creio que há uma importante distinção a ser feita entre religião e espiritualidade. Julgo que a religião esteja relacionada com a crença no direito à salvação pregada por qualquer tradição de fé, crença esta que tem como um de seus principais aspectos a aceitação de alguma forma de realidade metafísica ou sobrenatural, incluindo possivelmente uma ideia de paraíso ou nirvana. Associa
    dos a isso estão ensinamentos ou dogmas religiosos, rituais, orações e assim por diante. Considero que a espiritualidade esteja relacionada com aquelas qualidades do espírito humano - tais como amor e compaixão, paciência, tolerância, capacidade de perdoar, contentamento, noção de responsabilidade, noção de harmonia -, que trazem felicidade tanto para a própria pessoa quanto para os outros. Ritual e oração, junto com as questões de nirvana e salvação, estão diretamente ligados à fé religiosa, mas essas qualidades interiores não precisam estar. Não existe portanto nenhuma razão pela qual um indivíduo não possa desenvolvê-las, até mesmo em alto grau, sem recorrer a qualquer sistema religioso ou metafísico. É por isso que às vezes digo que talvez se possa dispensar a religião. O que não se pode dispensar são essas qualidades espirituais básicas." Dalai Lama

    ResponderExcluir