28 de set de 2011

Os Sete Degraus em nossa vida

A que propósito servimos em nossas realizações cotidianas?

            Antes mesmo de sairmos realizando projetos pela “vida afora”, talvez clarearmos as nossas metas da “vida adentro”, seja um caminho interessante para “permitirmos à nossa VIDA fluir para, verdadeiramente, florescer”.

Afinal, realizar o Propósito em tudo o que se faz é mais assertivo que realizar vários propósitos desconexos de sua fonte primordial.

E, como vimos na história de nosso amigo elemental, realizar “O Grande Propósito”, necessita a inclusão de um ingrediente fundamental que é a VONTADE!
Pois, sem vontade ficamos eternamente “parados no cais”, apenas “a ver navios”, sem participação ativa na vida.

Contudo, só a vontade ainda não é suficiente. Há que se ter a PERCEPÇÃO que amplia a nossa visão a novas possibilidades para além do degrau em que nos encontramos. Caso contrário, damos voltas e mais voltas no mesmo circuito, criando sulcos que nos mantém sempre na mesma trilha.
Só a percepção nos eleva às espirais mais elevadas! “A visão além do alcance”!!

A partir das novas percepções, começamos a abrir espaço para o caminho interior - fonte inesgotável de compaixão - que nos possibilita o “conhecer-se melhor”, tanto nas falhas que precisam ser lapidadas e aprimoradas, quanto nas verdadeiras habilidades e talentos natos que servem de combustível para nossas realizações mais sublimes.

Assim, acessando o caminho interior, descobrimos o caminho do coração: AMOR – como terceira condição, que sustenta todos os nossos empreendimentos.
Essa é a única base sólida: Amor. Sem ele, todo o empreendimento pode até seguir em frente, mas não se sustentará por muito tempo.

Então, solidez estabelecida nas bases do Amor, ainda é necessário manter a PUREZA: a pureza mais íntima das intenções, que considera, não o beneficio “exclusivo”, mas o beneficio “inclusivo” e abrangente, que se estende para o bem comum - à totalidade.
Que sabedoria da Criação!! Afinal, o grande “Segredo” não poderia ser algo tão fantástico, mágico e fantasioso!! Antes, é algo muito concreto e sólido, quando serve ao bem maior, ao Propósito a que viemos.

Então, vem a necessidade da CONCENTRAÇÃO que é a Plena Atenção ao propósito interior a que as nossas realizações se prestam em serviço exterior.

E há que se ter muita paciência e persistência para adquirir tal prática, pois estando em aprendizado num mundo voltado para as necessidades imediatistas e materiais (exteriores) é missão de grande porte, manter a tal CONCENTRAÇÃO, considerando seu real significado – atenção interior - sem desviar-se do caminho original, mas caminhando nesse mundo de distrações.
E, ao integrarmos atenção interior com ação exterior, vamos consolidando um novo RITMO, que passa a reger um novo movimento, imprescindível para Mudanças saudáveis e conscientes.

E, por fim a PAZ, que promove a segurança do caminho inabalável, quando aceitamos e nos rendemos ao movimento do fluir para enfim, FLORESCER!

O Florescer “de todas as cores, plenas de possibilidades, com suas sementes abundantes que, à medida que sopra o vento são espalhadas para criar raízes onde lhes for possível.”

Pois, alcançado o estado de Paz, “não mais nos preocupa saber se as sementes caem em solo ou sobre pedras – apenas as vamos espalhando por toda parte, em total celebração da vida e do amor” realizando cada pequeno propósito, porém ancorados no Propósito Maior.

Se queremos um mundo de PAZ, precisamos primeiro cultivar a paz dentro de nós.
Se queremos um mundo de AMOR, precisamos desenvolvê-lo dentro de nós para que ele se expanda à nossa volta.
Se queremos um mundo de LUZ, precisamos despertar e reconhecer a luz dentro de nós que nos vivifica.
E, a somatória de nossos esforços individuais faz a força do grupo, na contribuição para o TODO. Onde, a mudança do TODO começa com a reforma no interior de CADA UM.
“Você só é responsável por aquilo que pode mudar. A única coisa que você pode mudar é sua atitude, e nisso está a sua responsabilidade.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário