14 de set de 2011

Parte III - Mudanças... permitindo à VIDA fluir para florescer

PARTE III – CONCENTRAÇÃO e RITMO

            Com o desenrolar da história do nosso amigo elemental, vemos o desenrolar de nossa própria história no decorrer dessas semanas.

            Do mesmo modo que, em sua empreitada, o ser elemental vence seus desafios em manifestar a flor amarela, em sincronia, seguimos também nossos desafios com nossas metas pessoais em manifestar a beleza das flores em nossas vidas.

            Quatro degraus - Vontade, Percepção, Amor e Pureza - já nos foram apresentados como referências a serem implementadas em nossa vida exterior para a conclusão de nossos propósitos, com maestria.

            Vejamos, como se segue a história:

            “Finalmente, nem foi necessário apresentar-me voluntariamente. Um dia meu professor- Deva disse-me: ‘Está bem, pode ir e tentar outra vez’. Desta vez fechei meus olhos e sentidos e não deixei minha atenção desviar-se por nada. Só queria uma coisa: A Flor Amarela! Mas ainda havia algo em que eu devia pensar: a Persistência. Por minha falta de persistência aconteceu que as pétalas da flor caíram, mesmo antes que a primavera chegasse ao fim! Portanto, também tive de aprender a quinta atividade, a da Persistência e Concentração, antes que o Deva me chamasse novamente. Devido ao fato de as pétalas de minha flor terem caído antes do tempo por causa de minha falta de persistência, regressei ao Templo um mês antes dos outros. Devo confessar que, por vergonha, durante um bom período não apareci no Templo. Andava para cá e para lá do lado de fora, mas não ousava entrar. Mas finalmente tive que entrar no Templo, também conheceis isso! Onde quer que estejais e o que quer que desejeis fazer voluntariamente, um dia tereis de concluí-lo!
É exatamente assim com os seres humanos. Eles brincam por aí, por tanto tempo quanto desejam, desperdiçam tempo e força, porém um dia esta maneira de viver tem de acabar, pois CADA UM TEM SEU PLANO DIVINO A CUMPRIR. Mais cedo ou mais tarde, cada um terá que voltar – talvez de asas caídas – para o cumprimento do plano original.

            Quando novamente nos reunimos diante do Deva no Templo da Natureza, eu estava sentado bem atrás, na última fila. Como era de estatura pequena, tinha a esperança de não ser visto tão facilmente. Aí eu pensei comigo: Nunca mais quero sair para uma nova experiência, simplesmente ficarei aqui. Então tivemos de aprender a lição do Ritmo.

            Então aprendi que precisava manter a pureza da forma e persistir no meu posto, até que fosse chamado de volta por aquele ser que me havia enviado. Isto era Persistência. Então fiquei sabendo com grande espanto que seria enviado em todas as primaveras.

            Paciência! Eu tinha pensado que sair uma vez seria a grande realização, mas reconhecia agora: O ritmo comanda: flor amarela, flor amarela, sempre e sempre, em todas as primaveras vindouras! Eu nem quero tentar contar-vos em quantas primaveras eu era a flor amarela. Ser uma flor amarela uma vez, era para mim uma novidade, até uma dúzia de vezes dava prazer. Mas a cada primavera, isto me parecia uma longa, monótona, impiedosa prova! Obediência! Obediência! Obediência até o fim!” (continua...)

           
Concentração (foco e atenção) e Ritmo (movimento) são dois aspectos naturais e fundamentais que regem a ordem da nossa Natureza - interna e externa – presente nas batidas do nosso coração, no fluxo respiratório, no pulsar dos ciclos das estações do ano, na inspiração e expiração solar...

Aspectos tão inerentes quanto inconscientes, mas que sustentam toda possibilidade de vida e evolução.

E, exatamente por estarem na superfície de nossa atenção, muitas vezes, retardam o nosso desenvolvimento, pois sem foco a concentração se dispersa; e sem ritmo não há movimento.

Por outro lado ao conciliarmos foco/concentração e ritmo, nos alinhamos a freqüências vibracionais mais elevadas, potencializando a oportunidade de avançarmos em nossos propósitos.

Contudo, há que se ter persistência necessária, que se apresenta quando estamos abastecidos pela força interior que orienta e dita o ritmo da ordem.

E, essa força interior só é possível quando olhamos para dentro de nós e a buscamos em nosso interior e não no exterior.   

2 comentários:

  1. Muito lindo Fátima! O importante é saber que tudo é caminho. Se não fez bem feito, mas entendeu... tá valendo! Pode se sentar no banco da frente e contar aos demais que foi triste... que sentiu vergonha... mas principalmente que deu um passo importante, está evoluindo! Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Adorei, obrigada pelo compartilhamento desse texto. É lindo, precisamos incorporar o comportamento da persistência em um objetivo.
    Tão simples e tão difícil ao mesmo tempo. Precisamos de coragem que é a virtude dos fortes. Bjo e obrigada.

    ResponderExcluir