21 de set de 2011

Parte IV – Mudanças... permitindo à VIDA fluir para florescer


"Tributo à Primavera"

PARTE IV – PAZ

            Hoje, chegamos ao final da história que nos inspirou durante todo o mês de setembro, exatamente no post que antecede o início da Primavera!!
            Com o último degrau a ser escalado por nosso amigo elemental para a conclusão de seu florescimento, que também possamos florescer a partir dessa Primavera em nossas realizações, aceitando as “mudanças... permitindo à Vida fluir para florescer!”

            Vejamos como se conclui a história: 
           
“O último degrau que tive que aprender no Processo da Criação foi Conservação da Paz! Quando o professor Deva me dizia pela última vez que teria de ser novamente uma flor amarela, quase punha a perder todo o meu êxito até então alcançado. Deveis saber que meus amigos e colegas já haviam se tornado maravilhosas árvores, arbustos e quaisquer memoráveis criações. Mas eu ainda era sempre a pequena e miúda flor amarela! Vede como foi necessário que eu aprendesse a manter a Paz. Considerai, então que, num futuro muito, muito distante daquele tempo, eu próprio me tornaria a Paz. Vós também deveis ser uma daquelas pequenas, pouco vistosas flores amarelas, então gostaria de advertir-vos: MANTENDE A PAZ.

Talvez algum dia sereis o sol de um sistema! Quem sabe então que uso fareis de vosso livre-arbítrio?

Na minha última saída deixei de lado definitivamente todas as minhas opiniões. Sim, isso eu realmente fiz. Pensava comigo: ‘Se Deus quiser, continuarei sendo então, por toda a eternidade, esta flor amarela’. Esta foi minha última saída! Minha total submissão e dedicação trouxeram-me a libertação. Quando regressei ao meu Deva, no Templo da Natureza, ele coroou o meu serviço de muitas eras com a vitória! Então pude ser promovido ao Reino dos Devas.

Longo, longo tempo servi com sempre crescente eficiência, até que finalmente recebesse minha consagração como Elohim. Mais tarde, quando me foi dada a oportunidade, por Hélios e Vesta, de cooperar na criação da amada Terra, associei-me espontaneamente aos outros seis Elohins para cumprir esse serviço. Nós servíamos conjuntamente com alegria por nossa camaradagem recíproca, e com alegria pela própria criação propriamente dita.

O caminho de um Elohim passa pelas atividades dos Sete Degraus, começando de um pequeno ser elemental, até um Construtor de Formas, através do qual, pouco a pouco, ele expande cada vez mais seu estado de consciência. É o mesmo caminho pelo qual os minúsculos Querubins tornam-se Grandes Devas de Luz.

Também a alma não despertada espiritualmente atravessa os mesmos degraus, até despertar e talvez tornar-se um Ser Ascensionado, cheio de Amor, Luz e Perfeição. Em parte alguma existe a possibilidade de uma fuga a esses “Sete Degraus”. Há naturezas que o aceitam, o reconhecem imediatamente, e vencem os degraus em rápida seqüência, outros precisam de mais tempo para sua conclusão. Acreditai em mim, eu posso relatar a respeito! Creio que fui o aluno mais moroso de todos os grupos que começaram comigo. Mas, se na mais aprendi, uma coisa com certeza eu aprendi: MANTER A PAZ E VIVER NA SABEDORIA DAS LEIS.

Agradeço-vos por vossa bondade e amabilidade, por vossa atenção e amor! Por favor, pensai sempre no seguinte: A PAZ É UM PODER POSITIVO! Eu, que segui o caminho da evolução muito antes de vós, estou ao vosso serviço! Ofereço-vos, agora, todas as minhas bênçãos! Que todas as vossas precipitações sejam perfeitas, que vossas ‘flores’ sejam muito lindas e vossos divinos esforços cheios de sucesso, em Seu Sagrado nome!”

Paz é aceitação serena e firme, que não vê necessidade de resistência ou luta, pois que se ancora na Confiança Maior provedora da Segurança a toda e qualquer necessidade de realização.

"Eu Sou grato à Vida, à Luz e ao Amor. Eu Sou sempre grato."
*Vídeo "colhido" no Facebook de Graziela Lima

Nenhum comentário:

Postar um comentário