12 de ago de 2012

“Trazendo Luz à nossa vida – o poder da escolha consciente”


“Dar à Luz” é um termo que empregamos para sinalizar que o dom da vida se revela.
E, por trás desse termo tão popularmente conhecido, encontramos a mais profunda verdade a ser revelada por cada um de nós, retratada na busca do homem ao “conhecimento de si mesmo”, procurando “nas verdades universais o caminho para a prática do bem e da virtude” que, em outras palavras, simplesmente é a descoberta e a revelação de nossa própria Luz interior – nossas virtudes, nossos talentos para servir ao bem comum.

Mas, nessa busca encontramos atalhos que nos convidam a visitar locais de profunda escuridão – são nossos medos, nossas dúvidas, nossas dores, nossas frustrações, nossas raivas que por vezes preferimos ocultar ou disfarçar, protelando a rica oportunidade de transcendê-las.

E, são tantas as oportunidades que se apresentam repetidamente sob novas vestes que, em determinado momento, depois de tantas experiências fracassadas, muitas vezes já fatigados, reconhecemos as projeções de nós mesmos, lançadas ao mundo.
Por vezes, chegamos a vestir o sentimento de culpa – que se mantém velada, mas ativa nas entrelinhas de nossas decisões e atitudes, atuando como grande empecilho de crescimento, pois nesse momento ficamos aprisionados em nossa própria escuridão - impotentes e desamparados - apenas aguardando a absolvição da sentença auto-imposta.
Seguimos a vida, anestesiados pela dor ou sofrimento. Pegamos tantos atalhos que chegamos a nos perder nesse labirinto ao caminho de volta.

Porém, o caminho está sempre à nossa frente nos guiando como um farol. E, ao aceitarmos as experiências - isentos de justificativas, julgamentos ou auto-críticas, perdoando-nos pelas feridas dolorosas de nossa alma, permitimos à luz penetrar na nossa mais profunda escuridão.
Então entendemos que “não adianta os outros nos absolverem se nós nos condenamos”.

E, ao desenvolvermos a atenção consciente no nosso centro - fonte de equilíbrio e sabedoria - “temos a percepção clara e coerente do que efetivamente está acontecendo tanto dentro como fora” de nós mesmos.

Essa nova percepção faz dissolver todas as ilusões que outrora sustentaram o nosso modo de atuar no mundo, pois novas referências se estabelecem quando nos recordamos da nossa essência e dos dons que viemos revelar para a realização do propósito da alma.

Agora é possível transformar qualquer sofrimento um dia negado “em lucidez e paz nos recônditos da nossa alma, pois seja o que for que esteja acontecendo, reconhecemos a verdade – sem julgamento. Seja isso agradável ou desagradável, bom ou ruim – isso agora é irrelevante”, pois “a alma está se libertando de memórias inconscientes muito profundas e quanto mais neutro for o nosso julgamento, mais livres estaremos delas”.

É um novo momento de maturidade que acompanha os ciclos de evolução da vida e nos confere o poder da escolha consciente que re-significa a nossa existência.

São momentos preciosos capazes de promover a cura da relação consigo mesmo, com outras pessoas e com situações de um passado recente ou remoto que transcende gerações e re-unifica no Amor.
Então, neste momento, somos a Liberdade em ação! Totalmente livres para revelar todo potencial de Luz contido dentro de nós.

Porém, para isso é necessário um profundo querer. E é preciso estar atento para que o querer revele-se em poder de escolha.

Eu escolho a Luz: “Que a Luz se faça!”

            Minha Vida É Luz!

* Psicologia esotérica
** Cura vibracional prática (Reconhecimento; Perdão)

Nenhum comentário:

Postar um comentário