20 de ago de 2012

“Luz e sombra – recompondo a poesia da Vida”

“Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já têm a forma do nosso corpo. E esquecer os nossos caminhos que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia. E se não ousarmos fazê-la, teremos ficado para sempre, à margem de nós mesmos”.
(Fernando Pessoa)

            A nossa memória abarca um potencial ilimitado e poderoso.
Esse potencial pode ser utilizado para nos aprisionar nas dores do passado, mas também para nos libertar e curar no presente.

            Pois o momento de oportunidade é sempre o AGORA, quando nos valemos do nosso poder de escolha.

Ainda que as nossas memórias insistam em ‘percorrer o mesmo caminho que nos levem aos mesmos lugares’, pois as memórias “são impressões extremamente profundas deixadas pela experiência na nossa mente e no nosso DNA”, cada momento de escolha também é nossa oportunidade de ‘travessia’ para um caminho livre das energias limitantes do passado.

A rica oportunidade de releitura dos acontecimentos da vida acontece a cada lampejo de lucidez, quando enxergamos além do que o registro da memória acolheu num tempo passado - conforme a nossa conveniência - ao evitarmos o contato com a sombra do que um dia negamos, ocultamos ou mascaramos como defesa do que nos causou sofrimento ou dor.

E, para curar a dor, o melhor remédio é o Amor. Ao abrirmos “um espaço para o testemunho amoroso enquanto sentimos esses padrões defensivos, observando e deixando a lembrança vir à tona”, sem julgamentos, sem justificativas, “ele acabará se transformando num espaço vazio na nossa mente”.

E, então, a nossa memória estará sendo verdadeiramente útil “nas áreas da praticabilidade – seja para saber onde deixamos as coisas, para recordar um verso ou relembrar um incidente”, agradável ou não, mas isso já não é mais relevante.

Porque agora “as lembranças distorcidas ou bloqueadas podem ser transformadas em recordações vívidas” que nos oferecem a possibilidade de ver um significado maior em nossas vidas, pois vemos a Luz-Amor que está por detrás da escuridão e das sombras, onde “o cerne de qualquer questão é o significado que, quando visto na Luz-Amor torna-se poesia”.

E, neste momento, qualquer cena ou cenário do nosso dia-a-dia, toma novos contornos. Uma simples cortina como a que ilustra esse artigo, se transforma numa linda tela, uma obra de arte natural, composta pelo efeito gerado pela luz e pela sombra.

A sombra, tantas vezes evitada, sob o ponto de vista da Luz é bela e revela a harmonia que compõe uma nova Unidade, onde nenhuma parte poderá ser negada para sentir-se inteira.

Assim, “na medida em que formos tomando mais consciência dos rumos e do propósito dos encontros e desencontros em nossa vida, teremos mais condições de mudar hábitos ancestrais, procurando descobrir o que é certo em cada situação e deixando pra trás hábitos obsoletos”, nos capacitando nessa travessia pessoal para uma vida mais próspera, plena e feliz.

É o momento de síntese em que Luz e Sombra recompõem a poesia da nossa Vida.
E, “a vida será cada vez mais poética à medida que nos abrirmos honesta e humildemente para o significado dos seus acontecimentos”.

“Eu transformo as minhas lembranças em significado e descubro a essência poética de tudo o que vivi”.

* Cura Vibracional na Prática


Nenhum comentário:

Postar um comentário