7 de dez de 2011

No Espírito da FRATERNIDADE

“Quando conseguimos somar nossa enorme riqueza interior para criar um tesouro de amor e sabedoria que esteja ao alcance de todos, ficamos todos interligados no mecanismo único da criação eterna”.
(Nós Somos o Mundo – ‘O tarô Zen, de OSHO)


Quando ouvimos a nossa Voz Interior, nos reconhecemos em nós mesmos, acessamos a memória além da nossa origem familiar... a memória da Origem primordial a que todos, como humanidade, pertencemos.

Então, ao nos reconhecermos a partir dessa Origem começamos a descobrir as nossas qualidades mais verdadeiras, as qualidades intrínsecas que nos alegram o coração e que se revelam em qualquer atividade da vida – pessoal, familiar, social, profissional -, pois essas qualidades são as virtudes divinas, herança inerente a todos nós, que só têm função quando reconhecidas e colocadas à disposição do Universo, sem expectativas e sem interesses.

E, quando cada um de nós, em sua redescoberta pessoal aciona o melhor de Si, modifica todo o padrão de funcionamento nas relações.
Podem parecer pequenos detalhes, aqui e acolá, imperceptíveis à primeira vista, mas que vão se configurando numa Nova Visão, num movimento suave, porém consistente, a cada novo ser que se abre a essa nova perspectiva de Ser.

Então percebemos, às vésperas das festividades natalinas, que o Espírito da Fraternidade está bem aqui, agora, nesse momento, nessa comunhão entre nós, até mesmo por intermédio desse texto.
Pois deste lado da tela, na minha mais pura intenção, coloco no ‘papel’ a expressão do que me move e me faz feliz nessa caminhada na Vida. E, do seu lado da tela, está você, receptivo a esse encontro, no momento da leitura. Assim, ambos, independentemente dos pontos de vista, neste exato agora, estamos em contato, em comunhão - enquanto isentos de julgamentos.

E essas conexões, embora não perceptíveis, são múltiplas e infindáveis, neste mundo de relações pessoais ou virtuais, onde a distância física é apenas um detalhe da terceira dimensão. Talvez seja por isso que o almejado Espírito da Fraternidade ainda pareça estar “invisível” nesse ‘mundo de caos’.

Mas, como acabamos de constatar, Ele existe, está bem vivo, desperto e atuante!
Só nos resta retomar a Consciência e nos alegrarmos na vivência dessa imensa dádiva de convivência!

Namastê.

Um comentário: