5 de jun de 2012

“Terra, Água, Ar e Fogo: Contribuindo para a Purificação do Planeta”

“Fogo, Ar, Água e Terra”
“Pense que o seu corpo, assim como os ‘corpos’ da Terra, do Sol e das estrelas são feitos desses mesmos elementos.
Minerais, plantas e animais – em níveis variados, todos compartilham os mesmos elementos.
Cores, formas e sons exatos também são elementos. Todos elementos têm uma coisa em comum: eles estão em harmonia uns com outros, em vários níveis. Alguns deles explodem quando combinados, outros se misturam e outros vibram em ressonância mútua.
Como você se relaciona com as outras pessoas por meio do seu traço elemental?”
(Cura Vibracional Prática)



Na semana em que comemoramos o “Dia do Meio Ambiente”, 5 de junho, compartilhamos mais uma foto inspiradora de Eliza Carneiro, que nos coloca em integração com essa paisagem natural no Parque das Neblinas.

E, o contato com a natureza nos abastece de vitalidade e paz! O som da água que relaxa e acalma, o ar puro que respiramos e nos preenche de energia vital, a terra que nos fornece as plantas e, por seu intermédio o alimento, o oxigênio... presentes divinos e disponíveis a todos.

Passar alguns momentos conectados com essa energia primeva e imaculada nos revigora. E, esse é um recurso instintivo do qual nos valemos, quando estamos cansados, estressados e por vezes esgotados...

Isso normalmente ocorre quando nos desconectamos dessa fonte natural que nos é inerente, afinal também somos constituídos dos quatro elementos: água, terra, fogo e ar.

Mas, é mais comum identificarmos esses elementos equilibrados na natureza: “na tranqüilidade da água corrente, no vento que promove a dança das arvores, na força do fogo queimando e produzindo energia, na terra produzindo frutos e flores...
Tudo é a própria ‘Vida’ pulsando na natureza, assim como também pulsa em nós”.


Contudo, em alguns momentos, ao nos desconectarmos dessa perfeição natural, os elementos que nos compõe passam a conviver em desequilíbrio, promovendo:
- doenças no nosso elemento terra (o corpo físico)
- fadiga mental no nosso elemento ar (o nosso corpo de pensamento)
- estresses emocionais no nosso elemento água (o nosso corpo de sentimento)
Apenas para citar alguns exemplos de como podemos nos dissociar dessa sabedoria universal. 

E, diante dessa percepção, podemos dizer que “a nossa vida encontra-se ‘espalhada’ e é preciso reintegrá-la novamente”, nos unindo a esse Equilíbrio natural, elevando a nossa vibração pessoal aos princípios da Harmonia original.

Alguns pequenos cuidados no nosso dia-a-dia colaboram na harmonização desses elementos que nos compõe.

“Os quatro elementos (água, terra, fogo e ar) que correspondem aos estados da matéria, estão contidos nos alimentos que comemos todos os dias.
E, quando comemos podemos entrar em contato com os Anjos que presidem a estes quatro elementos: o Anjo da terra, a estabilidade; o Anjo da água, a pureza; o Anjo do ar, a inteligência; o Anjo do fogo, o amor divino. Assim, ao nos alimentarmos, quando nos ligamos através do pensamento a esses quatro Anjos, nutrimos o nosso corpo dessas qualidades mais refinadas, deixando de lado as preocupações, os ressentimentos, os maus pensamentos, que provocam o ‘envenamento’ dos alimentos e nos fazem adoecer.”


Pois, as preocupações e os maus pensamentos, correspondem ao mau uso do nosso elemento ar (corpo mental), assim como os ressentimentos e mágoas correspondem ao mau uso do nosso elemento água (corpo emocional). E, é deste modo que “cada sentimento ou pensamento traz ao mundo da forma a sua aparência” que pode revelar-se em harmonia e equilíbrio ou em desequilíbrios da mais vasta ordem.

Com pequenos cuidados como esse singelo exemplo, podemos contribuir para a despoluição da Natureza a partir da nossa própria natureza.

Comemorando e vivenciando o Dia do Meio Ambiente em Consciência!
Que essa seja a nossa Nova Realidade!

* Trechos em itálico retirados dos artigos da Revista Entusiasmo – Março de 2009, da Egrégora Grupal. (O Amanhecer; O Reino Elemental e vosso trabalho de purificação; A yoga da alimentação)

Nenhum comentário:

Postar um comentário