27 de out de 2011

NAMASTÊ na prática

Descobri, na prática, há um ano, o significado da palavra NAMASTÊ.

O Espaço Matrix estava em seu processo de concretização na forma, com uma rica diversidade de potenciais humanos, que contribuíam com seus talentos natos na reforma de um espaço que serviu por muitos anos a um propósito específico e que, naquele momento, estava sendo ‘desconstruído’ para abrigar uma nova forma.

Quando então, naquela experiência que vivenciávamos, aprendemos que “nada no mundo da forma é permanente” e que, “a aceitação da impermanência da forma faz revelar a essência que a sustenta para cumprir o seu propósito”.*
           
Naquele momento, o primeiro de muitos “Namastês” vinham à tona, quando despertamos “a gratidão à forma que serviu, abrindo espaço para o renascimento de uma nova forma que, agora, também se prestava ao novo serviço”.*

Então, a cada dia, dos noventa dias de reforma, o “Namastê” surgia espontaneamente nos gestos, nas palavras e nas atitudes de afeição, respeito, cuidado, entendimento, harmonia onde cada um revelava sua realeza de forma tão natural.

Por fim, na despedida com o pintor Sérgio, o termo Namastê, tomou a forma verbalizada, quando ele, já no portão me disse, com tanta simplicidade e com um movimento corporal tão espontâneo, ao reportar sua mão ao coração: “O meu Cristo saúda o seu Cristo”.

Foi então que entendi que Namastê é uma palavra universal, que transcende os múltiplos credos, culturas e raças – e que o aplicamos em inúmeras situações do nosso cotidiano, como pudemos perceber e, mais que isso, sentir o seu efeito naqueles dias idos de convivência fraternal entre todas as equipes que fizeram parte da Família Matrix.

O Namastê daquele momento ainda vibra dentro de mim, em gratidão a todos e a todas as experiências nas quais fomos todos mestres e aprendizes. E esse Namastê continua reverberando em cada atividade realizada nesse “novo” Espaço, que se configura como um “um espaço de convivência, uma pausa para Ser”, com o propósito de inspirar ao “acesso da sua Matriz Essencial, tecendo relações conscientes e saudáveis”.*.

Finalizo esse artigo, reverenciando-o, amigo leitor, pela oportunidade dessa convivência virtual: NAMASTÊ.
E, presenteando-o com um lindo texto, compartilhado pela amiga Tatiana Rodello, que vivencia tão plenamente o Namastê em suas relações.
Gratidão, agora e sempre!

“O Antes é a idéia que inspira ao Caminho Interior;
O Durante é o processo de concretização da idéia, na conexão com o caminho;
O Depois é a Confiança em ser o caminho na Segurança Divina:
O Agora é sempre Presente Divino.” *

* Trechos do texto extraído do Diário de Construção do Espaço Matrix.

** Gratidão à Carla Mago - Arquiteta, criadora da Forma harmônica que concebeu o Espaço Matrix, praticante plena do Namastê.

NAMASTÊ

“A palavra NAMASTÊ é o cumprimento em sânscrito que literalmente significa “Curvo-me perante a ti” – é a forma mais digna de cumprimento de um ser humano para outro.

Expressa um grande sentimento de respeito.
Invoca a percepção de que todos nós compartilhamos da mesma essência, da mesma energia, do mesmo universo.

Namastê possui uma força pacificadora muito intensa.

Em síntese é “Saúdo a você, de coração”! e deve ser retribuído com o mesmo cumprimento.

O Deus que habita em mim saúda o Deus que habita em você.

O Deus que há em mim saúda o Deus que há em ti.

O Espírito em mim reconhece o mesmo Espírito em você.

A minha essência saúda a sua essência.

As pessoas que trocam indiferença, desconfiança ou ódio, são pessoas que esqueceram que Deus habita cada ser.

Conhecido pelos budistas como Anjali Mudra, consiste no simples ato de pressionar as palmas da mão entre o coração e os dedos apontando para cima, no centro do peito.

Inclina-se levemente a cabeça sem ser acompanhado de palavras.
Freqüentemente fecha-se os olhos, para então curvar-se a coluna, em sinal de respeito à divindade que preenche todos os espaços do universo.
A coluna retorna à posição ereta mais lentamente do que quando abaixou, também simbolizando respeito à outra pessoa.

Os cinco dedos da mão esquerda representam os cinco sentidos do coração, enquanto os dedos da mão direita representam os cinco órgãos da razão.

Significa então que mente e coração devem estar em harmonia, para que nosso pensar e agir estejam de acordo com a Verdade.

Também é um reconhecimento da dualidade que existe no mundo, simbolizando a união das polaridades, esquerda e direita, bem e mal e sugere um esforço de nossa parte para manter essas duas forças unidas em equilíbrio.

Dez dedos unidos no Namastê.

O numero dez é símbolo da perfeição, da unidade, do equilíbrio perfeito.

Os Dez mandamentos
As dez emanações da Árvore da Vida.
Os dez vértices da estrela de Pitágoras.
A parábola dos Dez Talentos (Mt, 25)

Toda criatura é um reflexo dos Dez Atributos Divinos.

Afeição, Bondade, Conhecimento, Entendimento, Esplendor, Harmonia, Integridade, Perseverança, Realeza, Sabedoria.

Namastê traz o Sagrado para dentro de cada ser humano, afirmando que Deus não está só no céu, num templo ou mesmo na natureza.

Deus está em tudo, em cada um de nós e qualquer dissociação da imagem do divino da nossa é inútil.

Ao fazer o Namastê, afirmamos que todos somos filhos e partes do Sagrado, indissociáveis e iguais”

Créditos da foto:
1.bp.blogspot.com/.../s1600/child-namaste.jpg

4 comentários:

  1. Simplesmente lindo!!
    Adorei a explicação, muito clara.
    Parabéns!
    Namastê.

    ResponderExcluir
  2. Namastê, Rose.
    Que bom que gostou, afinal esse será o tema do nosso Natal de 2011!!!
    Um beijo carinhoso.

    ResponderExcluir
  3. Namastê querida ... sem palavras ... namastê !!!

    bjs,

    ResponderExcluir