17 de ago de 2011

“Retratos da Alma – o olhar do Observador”

“O Antes é a idéia que inspira ao Caminho Interior;
O Durante é o processo da concretização da idéia na conexão com o Caminho;
O Depois é a Confiança em Ser o Caminho na Segurança Divina;
O Agora é sempre Presente Divino”.
(Espaço Matrix – um espaço de convivência, uma pausa para Ser)

A foto acima, “materializa” o estado de SERENIDADE E LEVEZA, “visível à luz do Sol”, promovido pela “pausa para si” durante a Oficina “Retratos da Alma”, realizada no Espaço Matrix, na compreensão de que o vivenciar consciente de cada momento presente – o Agora – é uma prática não apenas possível, como fundamental para a concretização ou “materialização” dos nossos anseios interiores mais nobres.

O ato de fotografar, conscientemente, um “estado de ser harmonioso”, num momento específico, promovido pela vivência de integração com um meio ambiente natural - como fruto do exercício de interiorização - faz revelar o “invisível” que sustenta todo empreendimento no mundo da forma.

E, toda criação consciente, como comentamos em artigos anteriores, ancoradas no estado natural de harmonia e perfeição, provém desse exercício de plena atenção, de “presença de espírito”, quando nos sentimos centrados, integrados e plenos. E essa qualidade, fica impressa, em toda e qualquer obra que realizamos na face da Terra, nos fazendo crer que é possível tornar o mundo um lugar melhor para viver, para Ser.

Isso me faz recordar de um episódio vivido há alguns anos na presença de meu filho que, ainda pequeno, me acompanhava numa preleção.

Num determinado momento, o preletor, após relatar os inúmeros cenários da vida cotidiana de - miséria, corrupções, violências, insensatez, catástrofes naturais, do “micro” ao “macro” – nos questionou finalizando com a pergunta: “Diante de tantas evidências conclusivas de um mundo falido, quem acredita num mundo melhor?”

Evidentemente, a dúvida pairou no ar, diante daquela “realidade” retratada, onde poucos levantaram suas mãos - alguns ainda duvidosos, outros mais convictos.

Fiz parte daquela minoria, quando meu filho me questionou, aguardando uma resposta convincente de minha parte, antes de tomar a sua decisão: “Você acredita, mãe? Por quê?”

Foi uma oportunidade de aprendizado que me estava sendo oferecida por meu filho, a quem sou sempre grata, para que, naquele exato momento, eu buscasse a resposta dentro de mim com a convicção de minha alma e, não simplesmente, como um ‘acreditar superficial’, ‘da boca para fora’.

Tive uma fração de segundos para acessar esse “estado de consciência” pautada na honestidade e harmonia interiores que estabelecem a “segurança inabalável” para responder-lhe que: “Acredito, sim! Porque o que já aconteceu não há como mudar. Mas, eu posso -“agora”- fazer o meu melhor em cada gesto, pensamento, sentimento ou palavra, para tornar o mundo um lugar de paz e de amor. E, se cada pessoa enxergar essa oportunidade, uma nova realidade pode ser construída, sim.”

Sem hesitação, ele também levantou a sua mão.

E, em seguida, o preletor, reafirmou a minha resposta, inspirando a platéia à não se deixar conduzir pelas aparências externas, mas antes confiar no seu potencial de realização interior, ou seja, não ceder o seu poder às circunstâncias.

E, isso agora me remete a uma linda mensagem com a qual finalizo o presente artigo, na intenção de atuarmos como educadores conscientes, que aprendem com seus filhos, entregando-se à vulnerabilidade dos erros e acertos, ao mesmo tempo em que inspiram através de suas lentes interiores o “Retrato” de um mundo bom, belo e luminoso!

                                                                                        
 “Não ensine a seu filho que as estrelas não são maiores do que parecem ser: maiores do que a Terra.
São lâmpadas que os anjos acendem todos os dias, assim que o sol começa a escurecer...
Não diga a seu filho que as asas dos anjos só existem na imaginação.
Já vi meu anjo em sonho e posso jurar que ele tem asas claras que até parecem feitas de luz.
Não encha a cabeça de seu filho ensinando-lhe hipóteses precárias que amanhã de nada servirão.
Povoe de beleza o olhar inocente de seu filho.
Dê-lhe uma provisão de bondade que chegue para a marcha da vida.
Infunda-lhe na alma o amor de Deus – e tudo mais, por acréscimo, ele terá.”

Por Dom Helder Câmara – retirado do livro “Preces e Poemas” de Evelyn Zayden e Beth Campos
Callis Editora                       

  


Um comentário:

  1. ... que lindo Fá !!! Obrigada minha amiga por esses presentes semanais ... estou espantada com nossa sintonia !!! beijos

    ResponderExcluir