24 de set de 2013

Primavera de 2013 - Flores colhidas dos "faces"* de amigos


Flores colhidas dos "faces"* de amigos, na Primavera de 2013.
* Facebook, carinhosamente chamado por "face" - a face de cada um de nós e de todos nós.

Ahhh o espelho … não adianta fugir … olhe profundamente nos meus olhos e diga se o que você está apontando também não é seu !

" Cada qual está projetando uma imagem que construiu em sua mente, de maneira a encobrir o rosto verdadeiro da pessoa para quem está olhando. Todos nós podemos cair na armadilha de projetar filmes de nossa própria autoria, sobre situações e as pessoas à nossa volta. Isso acontece quando não estamos plenamente conscientes de nossas expectativas, desejos e julgamentos; em vez de assumir a responsabilidade por tais expectativas,desejos e julgamentos, e de reconhecê-los como nossos, tentamos atribuí-los aos outros. Uma projeção pode ser diabólica ou divina, perturbadora ou confortadora, mas continua sendo uma projeção … uma nuvem que nos impede de ver a realidade como ela é. O único modo de escapar disso é entender como funciona o jogo. Quando você der com o julgamento se formando a respeito de outra pessoa, vire-o do avesso : aquilo que você está vendo no outro, na verdade, não pertence a você ? A sua visão está límpida ou obstruída pelo que você quer ver ? ( trecho carta Projeção - O Tarô Zen, de Osho)
blog: www.carlamago.com.br/blog

"Se ficar o bicho pega, se correr o bicho come e se encarar o bicho foge", ainda que o bicho não precise fugir e sim, tornar-se nosso grande aliado.

Essas preciosidades colhidas no "face" de queridos amigos, sintetizaram uma rica vivência terapêutica nesse final de semana primaveril, em que pude olhar, tocar, escutar e deixar ir, muitas feras ou muitas 'faces' de mim mesma. Faces esquecidas e guardadas a sete chaves como se fossem tesouros, ainda que feras... mas, pura ilusão.

E, para poder descobri-las da nuvem de poeira que se acumularam com o tempo, primeiro, olhei para algumas delas que se apresentaram corajosamente para serem vistas.
Mas, apenas vê-las não era o suficiente. Quis tocá-las, escutá-las, estar com elas! E só então pude deixá-las ir em paz. E, assim, naquele instante, com a mesma paz também fiquei.

E, então descobri, que uma única chave é suficiente, não mais para guardar meus tesouros ou minhas feras, mas para abrir um portal de infinitas possibilidades para encontrar tudo o que sempre aqui esteve, sempre foi , é e será.
E que, igualmente, não havia sido visto, tocado, escutado e liberto.

"As travas do engano mantém a porta cerrada.
Abre-a com a chave do amor.
Ao abrir a porta, despertarás o Amado.
Kabir diz:
Ó irmão! Não deixes passar oportunidade como esta"


Nenhum comentário:

Postar um comentário