8 de ago de 2013

Permissão para a COLHEITA - semeando Amor, colhendo Amor.




Quando permitimos o revelar e compartilhar de nossa abundância sagrada, que é todo o Amor que por muito tempo foi contido e guardado dentro de nós, uma alegria profunda nos toca e, nesse instante sagrado, não há mais nenhuma necessidade de juízo ou razão. Há, sim, uma infinita vazão para o 'campo de todas as possibilidades', nesse movimento de libertação que move tudo o que é sagrado.
Então temos uma certeza, "Sim, todo Amor é sagrado e os frutos do trabalho, são mais que sagrados" nessa expressão de Amar. 

E, quando aceitamos que o Amor é a nota fundamental que mantém a coesão de toda forma e que essa é a única Realidade a ser vivida, tudo ao nosso redor toma novas proporções - incomensuráveis!
A começar por nós mesmos, quando permitimos o vibrar desse Amor em nós, preenchendo nossos vazios de nova vitalidade, força, energia e alegria restauradora que nos faz perceber o quão sagrados também somos.
E, então, por sintonia, nos conectamos a tudo o que é sagrado em nome desse Amor. 

E, percebemos quantas bênçãos nos são disponíveis quando nos abrimos para a permissão da colheita - os frutos desse Amor agora revelado - que nos chegam nas mais variadas formas, muitas vezes de lugares longínquos, que transcendem tempo e espaço... e que nos tocam de forma inequívoca, sinalizando que a "Lei da Graça existe como a frequência superior à Lei Cármica" e que isso é possível, apenas aqui e agora.
Agora, colhemos e acolhemos em profunda Gratidão esses presentes da Vida, sempre disponíveis quando estamos Presentes na Vida.

"Quando ouvimos o chamado da alma entendemos que 'tudo o que move é sagrado' e assim, 'todo dia é de viver, para ser o que for e ser tudo'."

*  Texto de Fátima Lee
* Crédito da foto:

http://www.v3wall.com/es/html/pic_down/1600_1200/pic_down_45925_1600_1200.html



Nenhum comentário:

Postar um comentário