21 de fev de 2014

O paradoxo da PAZ

Foto de Eliza Carneiro e Texto de Fátima Lee 
Na sincronia da Paz

A PAZ
Não se incomoda,
Quando tudo se desfaz.
Assim, é leve.
E leve assim se faz,
Enquanto tudo se desfaz.

E, se um dia sofri, já esqueci e agora sou 'free'

Sem querer fazer,
Sem querer me ocupar
Nesse esvaziar
Presença Se faz

Então,
Posso andar, dançar
Escrever, conversar, cantar
Ficar de 'papo pro ar'
Cozinhar ou ler
E até ter sem deixar de Ser.

Posso rir, brincar
Sorrir, ouvir, passear
Trabalhar, estudar, silenciar
Orar, Rezar, Decretar
Viajar
Mantralizar, Materializar
Tanto faz
Tudo é Servir
Quando Sou Paz."

(Fátima Lee)

Nenhum comentário:

Postar um comentário