15 de abr de 2011

BEM-AVENTURANÇA


Como vivenciar a Bem-aventurança em tempos de aparente caos?

A Oficina de Leitura inaugural realizada no Espaço Matrix traz à luz da consciência, a importância de vivenciar o “presente precioso” como fonte de inspiração para a transcendência dos nossos desafios cotidianos.
            O propósito da oficina é o de transcender o exercício da leitura racional ao trazer para a vivência prática o conteúdo principal do livro “O Presente Precioso” como ferramenta para acessarmos a bem-aventurança nesses tempos de aparente caos.

            O “Buda risonho” do Espaço Matrix que ilustra esse artigo, irradia através de sua expressão, a alegria e a plenitude da bem-aventurança – que substituem todo estado de ansiedade, preocupação, agitação, apatia ou depressão - quando acessamos e nos conectamos com a “presença de espírito” que nos remete, imediatamente, à vivência do momento presente como caminho efetivo de ação e realização.

            E, afinal...
            “Que vem a ser, pois, a bem-aventurança? E como encorajar sua presença em nosso cotidiano?”

            Conforme relata John Selby, no livro “Sete mestres, um caminho”, “Ela talvez seja mais bem definida por aquilo que não é. Não é medo. Não é apreensão. A bem-aventurança só existe na ausência de ansiedade. Além disso, não se pode chamá-la de cólera, crítica, rejeição ou recusa: nada do que é negativo lhe diz respeito.
            A bem-aventurança medra na presença do amor, da compaixão, da aceitação, da confiança – de todas as coisas positivas.
            A bem-aventurança é a corrente do Espírito puro que se derrama em nossa vida. É o nosso estado natural, quando renunciamos a todos os pensamentos, julgamentos, contrações e crenças, além de outros fardos cognitivos, e simplesmente nos abrimos para a paixão de estar vivos, repletos da fonte absoluta da vida: o amor e a infinita alegria criativa de Deus.
            Eis uma verdade psicológica: quando não há medo nenhum na mente, há a abundância de alegria. De igual modo, como diz Krishnamurti, ‘Quando não existe passado, existe a bem-aventurança do presente’. Se nos voltarmos de todo para as esferas perceptivas da consciência e agirmos a fim de aquietar a mente aferrada ao passado, com seus pensamentos e associações, sem dúvida suscitaremos a experiência natural da bem-aventurança no aqui e agora”.
           
           

4 comentários:

  1. "Que ótimo texto Fá ! ... esse é um "presente precioso" ... que bom esse seu novo veículo de compartilhar o bem, o belo e a luz !"

    Beijos,

    (Carla Mago via e-mail)

    ResponderExcluir
  2. Ca, querida...
    Você é o meu "Presente Precioso" que concretizou este meu momento presente para que eu pudesse vivenciar toda a preciosidade da vida por intermédio desse serviço. Namastê.

    ResponderExcluir
  3. Cá, veja se agora vc consegue postar um comentário... dá pra postar como anônimo e assinar a mensagem... não sei porque seu perfil do WP não está entrando aqui... talvez seja por causa do email que está cadastrado lá.. depois a gente ve isso.bj

    o blog está muito legal Fá!
    beijos
    Grá

    ResponderExcluir
  4. Fá querida ... só hoje pude ver sua resposta ! É uma "coincidência" ... porque você também é meu presente precioso ... apreendi muito projetando e executando seu espaço... e continuo apreendendo em cada vivência que participo !

    Gratidão,
    Cá.

    ResponderExcluir